17 janeiro 2007

TEU CHEIRO


Teu cheiro me desnorteia, me decontrola...
Teu rebolar da cintura me enlouquece
Tuas curvas derrapantes me faz viajante
Neste corpo suado, salgado...
Exalando cheiro de pecado
Te quero ao meu lado
Deitada em minha cama
Chamando meu corpo como íman
Quero ficar dentro de ti
Sentir o pulsar, o latejar...
Te ouvir gemer, gritar,
Enfim amar.
Uma selvageria louca
Coração saindo pela boca
O barulho do ir e vir
Posições intercaladas
Em pé, de quatro,
De bruço, deitada
Suores, odores, tremores
Beijos molhados, chupados,
Sexos grudados...
Coisa de louco
Coisa de quem não ama pouco.

3 comentários:

Anónimo disse...

Buscas a sensualidade da mulher e dita-la com uma precisão fantástica!
O prazer do calor de dois corpos despidos,o sexo com um toque selvagem.
Adoro a maneira como descreves a paixão e o sex-appeal.
Bem...Isto excita-me só de imaginar.
Acho que está bem concebido.
;p

lu disse...

'tá muito bom! A descrição apela aos sentidos, com as referências aos sabores e cheiros e faz-nos imaginar e relembrar momentos...

Daynor disse...

Angel! Ainda tenho o teu e-mail, me solicitando a publicação deste poema com uma imagem. Eu só autorizei com a observação de que deverias colocar meu nome como autor. De repente sou acusado de ter plagiado meu próprio poema...
Daynor