10 dezembro 2007

Natal Transparente




gostaria que fosse natal
sem caridade
sem perdão
sem subserviência
sem culpa
ou qualquer obrigação.
que fosse apenas natal
e que em cada ser humano houvesse,
nem que fosse por um dia,
aceitação!
que o não haja
ou que o seja com alegria
um momento de paz
antes da fuga
ou da crucificação


People aqui o rapaz vai de ferias para 2008 espero estar cheio de novas ideias e projectos.
Vos deixo aqui os meus votos de um natal feliz

23 novembro 2007

Dez bons motivos a favor da masturbação







Apesar de tudo o que lhe contaram quando era pequeno e de todos os tabus que o acto possa produzir, masturbar-se é um acto natural e faz parte de uma vida sexual normal e saudável. Sozinho, ou com a sua parceira, masturbar-se ajudará a conhecer melhor seu próprio corpo e suas preferências.

Se precisa de mais razões para quebrar os tabus e desfrutar esses prazeres, nós damos-lhe não uma , mas dez delas:






1 - A masturbação permite explorar o próprio corpo e descobrir as sensações, gestos e carícias que mais nos excitam. Passa a conhecer melhor suas necessidades sexuais e a melhor maneira de satisfazê-las, desfrutando com seu parceiro.

2 - A prática da masturbação tem um efeito relaxante tanto físico como emocional. O prazer libera as tensões surgidas a partir dos impulsos sexuais e ajuda a dormir, sem necessidade do uso de soníferos.

3 - Conhecer-se a si próprio permite ter uma atitude mais lúcida e crítica a respeito do sexo. Pode ter orgasmos mesmo que não tenha um parceiro, mas vai aprender a distinguir o sexo do amor.

4 - Se não tem um parceiro fixo, pode sentir necessidade de deitar-se com qualquer pessoa para suprir suas necessidades sexuais. Ou descarregar a tensão comendo barras de chocolate. Ou ainda, masturbar-se.

5 - Durante a masturbação, pode se concentrar em seu próprio prazer, sem ter que se preocupar com o prazer de seu parceiro.

6 - Se sofre de alguma disfunção sexual, como a anorgasmia (dificuldade em chegar ao orgasmo), a masturbação pode ajudar a solucioná-la. Para os homens, masturbar-se antes das relações sexuais pode evitar a ejaculação precoce.

7 - Masturbar-se com frequência vai ajudar-lhe a obter mais orgasmos e com mais facilidade. Além disso, também vai aprender a retardá-los quando estiver com seu parceiro.

8 - O orgasmo aumenta a circulação sanguínea, combate o stresse e aumenta a luminosidade da pele. Praticar a masturbação, portanto, faz bem para a saúde e para a aparência. Também ajuda a fortalecer os músculos da pélvis.

9 - É cientificamente provado que quem pratica a masturbação tem uma vida sexual mais plena, mais sadia e mais activa por mais tempo.



10 - Não há nada errado em dar um prazer a si mesma(o)!

12 novembro 2007

Técnicas para sexo vaginal





O sexo vaginal ocorre quando há a penetração do pénis na vagina da mulher. Pode ser feito em inúmeras posições. Aqui nós dividimos em basicamente 6 posições que possuem várias variações entre elas:

Homem em cima:

A maioria das pessoas começam nessa posição também chamada de papai-mamãe: homem em cima, mulher em baixo, cara a cara. É a posição que a maioria de nós perdeu a virgindade. Apesar de ser considerada ultrapassada por algumas pessoas, não há nada de errado nessa posição: dá um excelente apoio para a penetração, um contacto íntimo entre os casais que podem se beijar, e é a posição ideal para a concepção. A mulher pode ficar com as pernas bem abertas para os lados, ou pode traze-las próximo ao peito. Em ambas posições, o homem não tem como alcançar o clitóris para estimulação com as mãos, mas na primeira tem como alcançar os seios.

Uma variação dessa posição pode ser obtida quando a mulher senta se em uma cadeira ou na borda de uma cama baixa, possibilitando assim que o homem se ajoelhe no chão para a penetração. Para homens mais pesados essa posição reduz o peso que ele põe em sua parceira, e possibilita que os dois a alcançar ambas genitálias. Embora tecnicamente considerada superior por sexólogos ao tradicional papai-mamãe, a maioria das pessoas consideram essa posição menos íntima.

Uma terceira variação com o homem em cima ocorre quando a mulher está deitada de bruço e o homem penetra por trás. Para a maioria das mulheres, essa posição pode estimular o ponto G; entretanto, dependendo do tamanho do pénis, pode causar com que esse acerte o colo do útero causando dor. Apesar dessa posição não ter o contacto cara a cara, possibilita que o homem beije a nuca de sua parceira e tenha acesso ao clitóris com suas mãos.

Mulher em cima

Essa posição é recomendada por alguns para as mulheres que queiram perder a virgindade, pois possibilita a ela o controle da velocidade e profundidade da penetração. Existem inúmeras variações em que a mulher fica em cima. A mais comum é a que a mulher se ajoelha ou senta sobre a cintura do parceiro encaixando o pénis dentro dela. Essa posição é visualmente excitante para o homem e possibilita que ele acaricie os seios livremente.

Uma outra variação é a de quando a mulher se senta de costas para o homem. As sensações dessas variação são diferentes e podem ser bem excitantes para ambos os parceiros, porém há a perda de intimidade, já que não há contacto cara a cara.

Sentado

Essa posição é, geralmente, para sexo em camera lenta. Os ângulos são bons para fortes penetrações. O homem pode se sentar em uma cadeira ou na cama enquanto que a mulher senta-se por cima dele geralmente cara a cara, embora possa ocorrer uma variação onde a mulher senta de costa para o parceiro. Essa posição é excelente para intimidade e carícias. Algumas pessoas recomendam cadeiras de balanço para essa posição.

Em pé

Famoso pelas rapidinhas, fazer sexo em pé uma das posições mais difíceis de fazer, principalmente cara a cara. A penetração se torna difícil; em pé a vagina não inclinada para frente para fácil acesso. Como geralmente a mulher é mais baixa que o homem, um banquinho ou o degrau de uma escada facilitaria. O apoio de uma parede facilita e muito o sexo nessa posição. A mulher também pode optar por levantar um dos joelhos para o lado fazendo com que a inserção do pénis seja facilitada.

Uma variação de sexo em pé pode ser obtida quando a parceira fica de frente para a parede ou o que ela estiver usando de apoio e o homem faz a penetração na vagina por trás. Essa posição é consideravelmente mais fácil que a cara à cara, e muitas pessoas gostam pela conotação de fazer algo errado. Nessa posição o homem também tem acesso ao clitóris com suas mãos.

Lado à lado

Essas posições são praticamente parecidas com as em que o parceiro ou a parceira ficam em cima, sendo a única diferença que agora ambos estão deitados de lado. Podem ser feitas cara à cara, em ângulo, ou com o parceiro por trás. A única dificuldade na posição cara à cara é a de que um dos parceiros precisa colocar a perna sobre a do outro, podendo causar após alguns minutos desconforto e até cãibra. Feita quando a mulher está de costas para o parceiro, pode ser devagar e relaxante.

Por trás

Embora muitas das posições já mencionadas já cobriram essa posição, existe uma variação também conhecida como cachorrinho, onde a mulher ajoelha-se apoiando com as mãos e o homem penetra por trás. Essa posição é muito excitante para o parceiro tanto visualmente como psicologicamente devido a sugestão de submissão da parceira para o homem. Muitas pessoas gostam dessa posição também por causa da força de penetração que pode ser empregada.

Enfim, aqui foram descritas algumas posições mais comuns numa relação sexual vaginal. O mais importante é ambos se sentirem confortáveis um com o outro e sentirem prazer. Lembre-se que dentro de quatro paredes a criatividade pode se soltar livremente.

31 outubro 2007

Curiosidades sobre o beijo


O contato com cada parte do corpo humano pode ter um significado especial. O ato de tocar os lábios em alguém ou em outra coisa dá-se o nome de beijo. Observando de uma maneira fria, esquecemos-nos que o beijo pode representar um simples cumprimento ou expressar uma ardente paixão, uma forma de agradecimento ou simbolizar uma conquista; como um sinal de recompensa para o mocinho, que lutou contra o vilão para chegar vivo ao final do filme e beijar a mocinha. Assim, também faz o atleta que beija medalha da conquista.

Em todos estes casos, o beijo serve como termómetro para medir o grau de afecto entre duas pessoas. Isso pode ser verificado em casais que, depois de muito anos de relacionamento, perdem o interesse um pelo outro e acabam deixando o beijo de lado. Se pensarmos que pessoas que não se conhecem e as prostitutas não se deixam beijar, podemos dizer que a intimidade entre as pessoas também pode ser medida pelo beijo.

Verdade é que o beijo, além de termómetro, pode ser considerado um exercício de alto esforço, que chega a queimar 12 calorias por minuto, movimenta, só na face, 29 músculos e pode dobrar o batimento do cardíaco, mexendo com os cinco sentidos: paladar, audição, visão, tacto e olfacto. Para completar a excitação de tantos sentidos, a região da boca só perde em sensibilidade para a glande e o clitóris.

Alguns tipos de beijo:

- Beijo de tia: aquele em que só as bochechas se encostam e a boca beija o nada.
- Beijo francês: o famoso beijo de língua.
- Beijo chinês: cola-se os lábios e o nariz na bochecha do parceiro, aspira-se o seu perfume e em seguida estala-se a boca num beijo sonoro.
- Beijo japonês: dado pelo homem na nuca da gueixa.
- Beijo esquimó: só encosta o nariz.
- Beijo borboleta: os cílios encostam-se e os olhos piscam

22 outubro 2007

Preliminares


As preliminares são tudo que ocorre na estimulação de ambos os parceiros antes do sexo em si, ou seja, antes da penetração. Assim como o sexo, não há regras para as preliminares. O importante é ambos estarem se sentindo bem um com o outro.

Cada casal tem sua maneira de se excitarem um ao outro antes do sexo. Uns começam se beijando, com carícias, dando um show de strip-tease e masturbando-se. O sexo oral é para muitos uma das formas mais prazerosas das preliminares, pois estimula tanto a vagina como o pénis directamente.

Nas preliminares, tanto o homem como a mulher, estão aquecendo os motores. Além do prazer que as preliminares proporcionam tanto para o homem como para a mulher, essa fase resulta na rigidez do pénis e na lubrificação da vagina da mulher, facilitando assim a penetração.

08 outubro 2007

Sexo Anal, uma variante possível e prazerosa


Não há receitas absolutas para uma sexualidade feliz. É ao casal que compete escolher o tipo de relação sexual que deseja praticar. O sexo anal aparece assim como uma variante possível, que não significa exclusivamente penetração.

Os jogos eróticos podem e devem surgir entre homem e mulher na base do amor e do entendimento. Neste contexto, todas as formas de sexo serão permissíveis e saudáveis e, portanto, naturais.

Mas o que é que se entende realmente por sexo anal? O sexo anal é uma prática sexual como qualquer outra. Este termo significa várias coisas, e não apenas a introdução do pênis no ânus.

Há pessoas que introduzem dedos ou objetos e outras que realizam práticas buco-anais. É a este conjunto de atividades que habitualmente chamamos sexo anal.

A procura de satisfação ou de prazer é permanente no ser humano. Optar ou não por esta variante dependerá sempre da apetência e da concordância do casal. Em nome da harmonia e de uma vida íntima mais feliz.

28 setembro 2007

Vibrador, mais do que simples brinquedinho



Uma breve história
O vibrador elétrico deu seus primeiros passos em 1869 com a invenção, por parte de um médico americano, de um massageador movido a vapor que tinha a finalidade de tratar de "distúrbios" femininos. Após vinte anos, um médico inglês inventou um modelo mais portátil movido a bateria e em 1900, haviam vários tipos de vibradores disponíveis para os profissionais médicos mais "exigentes". Com o passar do tempo esses aparelhos foram conquistando um prestígio cada vez maior entre as mulheres, pois anúncios prometendo "saúde, vigor e beleza" elevaram o vibrador à qualidade de auxílio à saúde e ao bem estar. Algumas décadas depois os vibradores começaram a aparecer em filmes adultos, tornando difícil ignorar sua função sexual. Isso fez com que começassem a sumir gradualmente dos anúncios de publicações "respeitáveis".

Hoje em dia...
Como todo invento do homem, o vibrador evoluiu. Hoje, estão disponíveis vibradores que atendem os mais diversos "paladares", desde os tradicionais com o clássico formato fálico, até os mais inovadores, em formatos tão inusitados como o BUTTERFLY VIBRADOR, em formato de borboleta (este não dá ênfase à penetração em si, e sim à estimulação clitoriana - tempos modernos!!!)...

Conheça algumas utilidades
Estudos revelam que cerca de 60% das mulheres não conseguem atingir o orgasmo através da penetração, tendo que recorrer à prática da masturbação. Com o auxílio dos vibradores, a mulher consegue descobrir sensações que o seu corpo é capaz de proporcionar quando tocado em determinados pontos e assim encontrar o caminho para o orgasmo. Dessa forma ela pode ter o controle do seu próprio prazer e com certeza terá uma nova postura na hora do sexo, pois ganhará autoconfiança e poderá dar instruções ao parceiro de como ele deve agir para satisfazê-la.

O vibrador pode ser de grande importância para o relacionamento de um casal, já que representa um estímulo extra na relação. Muitas mulheres precisam de mais do que o sexo apenas para ficarem excitadas e com o uso do aparelho a relação pode se tornar mais completa e prazerosa para os dois.

O uso freqüente do aparelho também ajuda a aumentar a lubrificação vaginal, evitando o ressecamento, pois deixa as glândulas ativadas para que elas produzam lubrificação regularmente.

Onde encontrar
Diversos formatos e tamanhos de massageadores eróticos estão ao alcance de um clique no seu mouse. Escolha o que mais te agrada e "bom divertimento".

Não esqueça
Higienize bem o aparelho antes e depois de usá-lo para evitar contaminações.

20 setembro 2007

manual do sexo oral



Aprenda como levar o seu parceiro à beira do nirvana, com sua boca, e mantenha-o num suspense celestial até que ele implore misericórdia!

1) Comece pelas partes mais sensíveis: Não caia de boca logo de cara! Mostre toda a sua destreza começando pelos testículos, lambendo-os devagarinho. Sua língua é o melhor brinquedo que ele pode ter, passeie com ela enquanto enlouquece seu parceiro de prazer.

2) Pressão... é a chave de tudo: Os homens adoram carícias vigorosas, principalmente com a boca. Quando estiver sugando o pénis do seu amor, faça bastante pressão em torno dele. Isso lhe dará a sensação de estar penetrando sua vagina. Enrijecer sua língua em alguns momentos, irá aumentar o prazer dele.

3) Lubrificação ao extremo: Baba mesmo ! É importante que ele imagine sua boca como uma vagina bem molhada e gostosa. Faça o joguinho vigor x lambidas brandas. Esse é o truque!

4 ) Mágicas mãos: Acaricie, aperte, passeie com suas mãos pelo membro de seu parceiro, e sempre segure firme!

5) Movimente sua língua: A região da "cabeça" do pénis, é uma das zonas mais sensíveis. Fazer movimentos leves e circulares com sua língua, naquele orifício na ponta, vai levá-lo à loucura!

6) Ainda não é hora de gozar: Se quer realmente levá-lo à beira do nirvana, loucura total, diminua a pressão e o ritmo por alguns segundos, quando perceber que ele está quase chegando lá, continue os movimentos. Brinque, faça um joguinho com o Liker Emotion Gel...Lembre-se , você dita o ritmo!

7) Engolir ou não engolir: Se não é daquelas que curte sentir o gosto do esperma, então, deixe-o ejacular no seu pescoço, em cima dos seus seios. É uma maneira sensual de desvencilhar. Os homens curtem muito ejacular em cima da parceira!

10 setembro 2007

A prática da masturbação a dois


A masturbação tem sido uma actividade prática da masturbação à dois solitária para muitos homens e mulheres. Muitas pessoas vêem a masturbação como uma actividade muito íntima e não estão dispostas a compartilha-la com seus parceiros.

Compartilhar a experiência da masturbação pode ser um das mais íntimas acções que pode ter com a sua parceira(o). Para a pessoa que está vendo, dará a oportunidade de observar as reacções da sua parceira(o) ao se masturbar, podendo ser muito estimulante. Por outro lado, a pessoa que estiver se masturbando sentirá uma sensação totalmente diferente sabendo que alguém está o(a) observando.

Uma mútua masturbação pode ser feita como preliminares ou até o alcance do orgasmo. De ambos os jeitos, pode ser muito divertido e criar um clima muito íntimo entre os parceiros(a). Se você possui algum acessório erótico, pode utilizá-lo também para aumentar ainda mais as maneiras de satisfazer um ao outro.

Posições

Masturbação à dois pode ser feita em diversas posições. Simplesmente procure que seja confortável para a parceira(o).

A posição mais comum é onde ambos estão lado à lado deitados de costas para a cama. Cada um estimulará o outro com a mão que estiver mais próxima do parceiro.

Uma outra variação seria a de ambos parceiros estarem deitados sobre seus ombros encarando um ao outro. Ou, com um parceiro atrás do outro, sendo mais fácil para a pessoa que está atrás estimular o(a) da frente.

Lembrem-se que estas são apenas sugestões. A descoberta e tentativa de novas posições podem ser também muito estimulantes para ambos parceiros.

03 setembro 2007

Massagem sensual, fonte de grande prazer e relaxamento



A massagem é usada há milhares de anos como um meio de acabar com o cansaço e a tensão. Mas é também através de toques básicos que muitos amantes descobrem uma fonte de grande prazer, assim como um meio de tornar o corpo muito mais receptivo e relaxado para o ato sexual. O objetivo da massagem sensual é o relaxamento máximo e, por isso, é importante criar um cenário confortável antes de aplicá-la no parceiro ou parceira.

Uma cama grande, com um colchão firme, ou até mesmo um lençol no chão, podem ser adequados. É interessante também colocar travesseiros ou almofadas debaixo do pescoço, das costas e dos tornozelos da pessoa que será massageada. Certifique-se de que o quarto está aquecido e suavemente iluminado, com garantia de total privacidade.

Pode-se usar os movimentos de massagem individualmente, combinar dois ou mais deles ou fazer uma seqüência completa, começando nos pés e chegando até a cabeça. Aprender os toques básicos de massagem é bem simples e rápido. Dentre os primeiros toques recomendados está o Effleurage, que se traduz em deslizar as palmas das mãos pela pele do parceiro, pondo o peso do seu corpo por trás do movimento. Esse ato deve ser usado no início e no final da massagem em cada área do corpo.

O próximo é chamado de Amassadura, que é curvar as mãos gentilmente e amassar a carne com um movimento suave e regular. Já o Pétrissage significa mover em círculos os nós dos dedos e polegares ao longo da espinha para suavizar a tensão muscular. Mas não massa geie a espinha em si, pois pode causar dores ao parceiro. A Entalhadura consiste em, mantendo os dedos relaxados, dar uma série de golpes enérgicos com a quina da mão, como Karatê, só que mais suavemente. Deve-se deixar os dedos relaxados, nunca rígidos.

Por fim, dois toques bem gostosos são denominados de "Percussão" e "Mãos em Concha". "A percussão envolve batidas leves e rítmicas, enquanto as mãos em concha envolvem batidas no corpo, alternando as mãos - que estão em concha - com os dedos juntos e os polegares dobrados para dentro.

Seja qual for a técnica de massagem escolhida, sempre faça movimentos rítmicos, simétricos e completos. Use o Cleópatra Gel Spray e consulte o parceiro a respeito da pressão a ser usada, porque a massagem deve ser sempre um prazer para ambos. Além disso, é importante aprender a se esquecer temporariamente das próprias necessidades e concentrar-se no prazer do parceiro. Dessa forma você atingirá o objectivo desejado de conseguir dar e obter prazer plenamente.

10 agosto 2007

PONTO G: O que é?


O PONTO G é uma área da vagina onde supostamente há uma grande concentração de terminações nervosas. Logo, a mulher teria uma maior sensibilidade. O ponto G foi denominado assim em homenagem ao seu descobridor, um médico alemão chamado Grafenberg. Ainda há muita controvérsia sobre esse tema, e alguns médicos garantem que este não existe.

Da nossa parte afirmamos, existe. E tentaremos passar o caminho das pedras para que você mesmo o ache, caso ainda não o tenha feito.

Existem muitas pessoas que dizem que o ponto G está a uma certa distância dentro do canal vaginal, isso não faz sentido uma vez que o comprimento do canal varia. É igual a falar que a metade do pénis fica a 6cm da base, isso só é verdade se o pênis tiver 12cm de comprimento.

A forma mais adequada para se achar o ponto G é introduzir o dedo na vagina até tocar o colo do útero. Ao fazer isso, meça mentalmente o comprimento do canal e coloque o dedo no meio. Alguns dizem que este lugar é mais rugoso que o resto, a experiência mostrou que de início não é possível identificá-lo desta forma. À medida que você vai massa geando e excitando o ponto, aí sim ele fica mais áspero. Por várias vezes foi notado o surgimento de uma linha, provavelmente um músculo que se contrai, essa linha é o ponto de maior excitação para a mulher. Abuse de brincar ali, o resultado vai ser electrizante.

01 agosto 2007

Vida Sexual Saudável e Prazerosa


Uma das maiores causas de problemas sexuais está na desinformação e na falta de conhecimento do próprio corpo. Se não sei como reajo ao estímulo sexual, quais partes de mim são mais sensíveis ao toque, como poderei tirar maior prazer de mim mesmo e de um parceiro? Busque orientação especializada! Em algum momento, na sua intimidade, vasculhe seu corpo, observe-se no espelho, compare os pontos de seu corpo que mais lhe provocam sensações prazerosas. Para ensinar uma parceira(o) a lhe dar satisfação, é necessário que você a ensine. Não há vergonha alguma em aprender. Geralmente o processo de descoberta e de aprendizado por si só já é bastante afrodisíaco.

23 julho 2007

Todos querem casar


Existe um lugar, único no mundo, onde podemos obter a satisfação imediata de todas as nossas necessidades: o útero da mãe. Desconhecemos a fome, a sede, a falta de aconchego. Mas nascemos. Precisamos respirar com nossos próprios pulmões, reclamar da fralda molhada, nos desesperarmos com as cólicas. Somos tomados por um profundo sentimento de falta. Uma angustiante sensação de desamparo nos invade. Sem retorno ao estágio anterior, isso nos acompanhará por toda a vida.

Quando nascemos, somos introduzidos num mundo com padrões de comportamento claramente estabelecidos. Inicia-se o processo de socialização. Os desejos espontâneos são gradualmente substituídos pelos que aprendemos a desejar. Nos comportamos e agimos de acordo com a expectativa social. A partir daí todos se tornam parecidos. As singularidades não mais existem. O condicionamento cultural impõe como única forma de atenuar o desamparo uma relação fixa e estável: O CASAMENTO

Assim, todos desejam se casar. Ninguém questiona se é mesmo a única forma de realização afectiva. O casal constrói uma tela de protecção contra o mundo e tenta reaver o paraíso simbiótico que tinha no útero da mãe. Ilusão que dura pouco, incapaz de se sustentar na realidade do quotidiano. .

17 julho 2007

Ciclo da resposta sexual humana




Essa é a 1a Fase Sexual, onde os instintos são estimulados e os apetites crescem. O desejo e a sensualidade são experiências subjectivas que incitam a pessoa a buscar actividade sexual. Em termos cerebrais, há mensagens neurofisiológicas que motivam a busca por sexo. Esses sinais neurológicos ainda não foram bem explicados, mas já se fala em uma espécie de Centro de Desejo Sexual no Cérebro, que seria constituído principalmente por uma pequena região cerebral denominada Claustro. Nos homens, o estímulo visual é de extrema importância para iniciar e manter o desejo sexual

Excitação
A 2a Fase do Ciclo Sexual ocorre quando o corpo passa a responder fisiologicamente frente aos estímulos que dispararam o desejo sexual. Ou seja, a excitação é a resposta do corpo ao desejo. No homem, a excitação é demarcada pela erecção (quando o pénis fica rijo), na mulher, pela lubrificação vaginal. Duas alterações fisiológicas são as principais protagonistas nesse jogo. A congestão vascular, que é o aumento da quantidade de sangue superficial e/ou profunda acumulada em alguns órgãos do aparelho genital e extra genital, e a monotonia, que é a crescente e involuntária contracção de fibras musculares.

Orgasmo

Esta é a última Fase do Ciclo da Resposta Sexual. O orgasmo, o êxtase, o gozo ou ápice de prazer é atingido quando ocorre a liberação total das tensões antes retidas, acompanhada de uma contração muscular rítmica. Nos homens observa-se a ejaculação. Acompanha-se de todo esse processo, a sensação subjetiva de profundo prazer.

Após o orgasmo, o homem tem o que se chama de Período Refratário, fenômeno este não identificado nas mulheres. É um tempo de relaxamento necessário para que ele possa reiniciar novamente a atividade sexual. Nos jovens esse período pode ser de segundos, nos mais velhos, de horas a dias.

13 julho 2007

Prove que é homem


Por "Seja homem!", "Prove que é homem !", "Vem cá se é homem!". Desde pequeno o homem é desafiado a provar sua masculinidade. A vida inteira ele deve estar atento e mostrar que é homem, deve ter atitudes, comportamentos e desejos masculinos. Qualquer variação no jeito de falar, andar e mesmo sentir, pronto: sua masculinidade é posta em dúvida. Assim como a feminilidade, a masculinidade foi construída há 5 mil anos, a partir do surgimento do patriarcado. O homem, então, se definiu como um ser privilegiado, acreditando ser mais forte, mais corajoso, mais decidido, mais responsável, mais criativo, mais racional. Isso serviu para justificar, durante milénios, a dominação da mulher e também estender essa ideologia de dominação a outras esferas: a homens mais fracos, raças, nações e à própria natureza. Dessa forma, houve uma mudança radical nas mentalidades, e a evolução das sociedades pacíficas e de parceria, que existiam até então, foi mutilada. A cultura imposta pelo homem, autoritária e violenta, acabou sendo vista como normal e adequada, como se fosse característica de todos os sistemas humanos. No entanto, a masculinidade está em crise. Há pouco mais de trinta anos as mulheres passaram a questionar e exigir o fim da distinção dos papéis masculinos e femininos, ocupando os espaços sempre reservados aos homens. A certeza do homem superior à mulher foi abalada. Diante dessa nova mulher desconhecida, muitos homens passaram a questionar a identidade masculina, desejosos de se libertar dos papéis tradicionais a eles atribuídos e da cobrança de ter sempre força, sucesso e poder. A partir daí, puderam perceber que são oprimidos, tanto ou mais que as mulheres, sendo que nos Estados Unidos existem hoje mais de 200 grupos que se reúnem para discutir o masculino e sua desconstrução, e dos países nórdicos chegam trabalhos sobre o homem esgotado. Entretanto, essa não é a primeira grande crise da masculinidade que vivemos, mas é certamente mais ampla e significativa que as anteriores. Nos séculos 17 e 18, na França e Inglaterra, aceitando o questionamento das preciosas — feministas que invertem totalmente os valores tradicionais — alguns homens adoptam uma moda refinada: perucas longas, plumas extravagantes, roupas com abas, pintas no rosto, ruge. Recusam-se a manifestar ciúme, aceitam a igualdade de direitos e se tornam mais suaves. Com a Revolução Francesa de 1789, novamente se instala uma relação de oposição entre homens e mulheres até que nova crise da masculinidade ocorre cem anos depois. É no período de 1871 a 1914 que surge uma nova mulher. Entra nas universidades, reivindica o mesmo salário que o homem e o fim das fronteiras sexuais existentes. Para a crise atingir seu ponto máximo, acrescente a isso o emprego do homem na fábrica, onde as tarefas mecânicas e fragmentadas não dão a ele o controle dos resultados do trabalho. Somente a Primeira Guerra Mundial, iniciada em 1914, resolveu momentaneamente essa crise, dando chance aos homens de provar a si próprios que eram verdadeiros machos. No momento actual, estamos em pleno processo de transformação no que diz respeito à valorização da virilidade. Já é possível sentir sinais do desprestígio do machão. O homem que fica triste e chora adquire um novo valor: o do homem sensível. No entanto, a mudança das mentalidades demora algumas vezes mais de cem anos para se concretizar, mas isso não importa, desde que se abra um espaço definitivo para a autonomia de homens e mulheres.

06 julho 2007

Mulher romântica



. Branca de Neve, Cinderela, A Bela Adormecida. Modelos de heroínas românticas que, ao contrário do que se poderia imaginar, no que diz respeito ao amor são muito parecidas com a maioria das mulheres de hoje. A mensagem central dos românticos contos de fadas é a impotência feminina. O homem tem o poder, a coragem, a força, e tudo o que uma mulher pode fazer é esperar que o Príncipe Encantado a considere atraente o suficiente para se interessar por ela. Por desempenhar um papel passivo - frequentemente está em coma, esperando ser salva por ele -, não o ameaça em nada, podendo ser, portanto, escolhida para ser sua esposa. No final ela alcança a realização ao subir no cavalo do príncipe e partir para viver feliz para sempre no castelo dele. É claro que a história tem que parar por aí. Além da jovem jamais ter interagido com o mundo, agora mesmo não se terá mais notícias dela, e muito menos do dia-a-dia do casal. A menina na nossa cultura aprende desde cedo a ser romântica e submissa. Além dos contos de fadas, todos os meios de comunicação, família e escola, colaboram para isso. Um estudo feito nos Estados Unidos concluiu que as escolas americanas ludibriam as meninas. Além de receberem mais atenção dos professores, os meninos são recompensados por se valorizarem e as meninas por serem dóceis e quietas. Assim, quando se tornam adultas, já estão bem treinadas para se comportar ajustando sua imagem de acordo com as necessidades e exigências dos homens, prisioneiras que são do mito do amor romântico. Para que a relação entre os sexos se mantenha dentro do esquema de superioridade do homem, a principal aspiração da mulher deve ser a de viver um grande romance, se sujeitando a qualquer sacrifício para isso. Cinderela não tem nenhum plano ou projecto de vida, senão ser salva pelo príncipe e se casar com ele. Mas o episódio do famoso sapatinho traz outro significado dramático. Para a mulher ter sucesso, melhorar de vida, seu corpo tem que corresponder a determinadas exigências masculinas, nem que para isso seja necessário mutilá-lo. É o que acontece com as irmãs de Cinderela, que cortam um pedaço dos pés, para que caibam no sapatinho. Entretanto, esses absurdos não pertencem somente à ficção. Na China havia o costume de se enfaixar os pés das mulheres, que, após muitos anos de dores insuportáveis, ficavam completamente deformados. O motivo? Simplesmente porque os homens achavam pés pequenos sexualmente excitantes. Numa tribo da África, os lábios da vagina da mulher são, desde a infância, esticados ao máximo, ficando pendurados entre as pernas, porque os homens julgam ser mais atraente. No Oriente Médio e na África, as próprias mães obrigam suas filhas a se submeterem à extirpação do clitóris e à infibulação, para satisfazer a expectativa do futuro marido. No Ocidente, observamos essas práticas com horror, mas, na realidade, não estamos tão distantes assim. As mulheres se esforçam para se enquadrar dentro de padrões de beleza definidos pelos homens. Convencidas de que a única forma de provar seu valor é agradando a eles, fazem de tudo. Gastam tempo, dinheiro e saúde - é comum passarem fome para se manter esbeltas - desenvolvendo, em alguns casos, doenças graves como anorexia e bulimia. A autora canadense Bonnie Kreps afirma que, quando se pensa numa mulher romântica, logo se imagina uma mulher sonhadora, delicada, suave, meiga, dócil. Como se veste? Tons claros, principalmente cor de rosa, e enfeites de rendas. É a mesma ideia que se tem da mulher feminina. Sua competência é limitada e sua sexualidade deve ser apenas do tipo passivo. O mito do amor romântico se opõe à autonomia pessoal. Quem aprova os papéis tradicionais de masculino e feminino, carregados de estereótipos, tende a buscar experiências amorosas do tipo romântico, longe da relação verdadeira com a outra pessoa. .

02 julho 2007

Ingredientes para o amor


Uma pessoa bem alimentada será capaz de exercer suas actividades de forma mais satisfatória.

Segundo essa visão, a escolha dos alimentos é fundamental para o bom desempenho sexual. Deve-se dar preferência a uma dieta que contenha frutos do mar, rica em fósforo, sal e muitos micro-elementos necessários ao nosso corpo.

A vitamina E, chamada de vitamina da fertilidade, é encontrada no gérmen de trigo e nos alimentos elaborados com farinha integral. A carência dessa vitamina leva à esterilidade, à impotência e a outros problemas sexuais.

O álcool, quando usado moderadamente, elimina as inibições e aumenta o fluxo sanguíneo nos vasos periféricos, como os do pénis. Em doses maiores, porém, tem o efeito oposto, reduzindo a velocidade das reacções nervosas e produzindo incapacidade sexual temporária.

Mas não é só através de comidas e bebidas que somos sexualmente estimulados. Entre os humanos, a atracção começa pela visão e pelo olfacto, que exercem um papel muito importante na arte do amor. Na entrada das narinas, por exemplo, tem um sensor que percebe os feromônios exalados pela pele, despertando o desejo sexual. O odor dos genitais e das axilas, por sua vez, viaja directamente para o cérebro, fornecendo ao parceiro todas as mensagens de interesse amoroso.

Os ingredientes afrodisíacos, entretanto, não têm capacidade de curar impotência ou frigidez, sendo destinados apenas a pessoas que querem
prolongar o prazer sexual. A ajuda de um especialista, nestes casos, é ainda a melhor solução.

26 junho 2007

Dominadora Sexual



Um número cada vez maior de homens está se dando conta de que sente prazer em ser seduzido. No livro "O Que os Homens Realmente Querem", de Susan Crain Bakos, cerca de mil homens foram entrevistados e afirmaram que a maior queixa sobre as mulheres na cama, era a passividade. Eles desejavam companheiras mais activas pois estavam cansados de assumir a responsabilidade de tornar o sexo satisfatório para o casal, principalmente de sentirem que a mulher fica na expectativa de que eles lhe proporcionem o orgasmo e comandem toda a situação.
Mas será que eles falam ou dão indícios que querem que a mulher tome a iniciativa? Só alguns. É bom saber, que poucos homens têm a coragem de pedir a uma mulher que conduza o sexo, principalmente se não for uma parceira na qual ele se sinta seguro e à vontade na intimidade. Na verdade, como o homem teme ser rejeitado sexualmente, levar um "não" ou achar que não está desempenhando o papel de "homem de verdade", faz com que ele omita sua vontade de ser dominado sexualmente. Se não diz, a mulher fica com receio de arriscar uma ousadia.

Alguns homens também questionam o facto de que "se são sempre as mulheres que decidem se vão fazer sexo ou não, então porque eles é que têm que tomar a iniciativa no sexo e serem os dominadores?"

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. O bom é os dois sentirem um imenso prazer e o que queremos agora, é mostrar para as mulheres que elas sabem muito bem tomar a iniciativa e deixar o parceiro de boca aberta!
A mulher dominando
A mulher assumindo o controle do sexo , uma vez ou outra, vai oferecer um estimulante poderoso para a fantasia sexual masculina, pois vai ver que isso faz parte dos seus delírios sexuais, ainda que nem sempre dito por ele.

As mais experientes no assunto, garantem que é muito fácil reconhecer quando um homem está entregue ao domínio de uma mulher que sabe o que quer sexualmente, pois o corpo dele se entrega às carícias sem controle nenhum. A recompensa virá para os dois, principalmente se a mulher reconhecer e aceitar a necessidade masculina de submissão e o homem não tiver receio de pedir ou deixar que a mulher tome a iniciativa e o domine na cama.

Domínio e submissão não deveria ser atribuído separadamente ao homem e a mulher, de forma a rotular que um faz parte do homem e o outro da mulher. O ideal, é que o exacto significado das duas palavras, façam parte da vida sexual dos dois, pois são palavras carregadas de sensualidade, e tanto o homem como a mulher, devem experimentar o significado de cada uma nas variações do sexo.

As mulheres que estão acostumadas a tomar iniciativas na cama e a dar uma de "dominadora" sexualmente, sabem o quanto isso aumenta a excitação de ambos e o quanto o relacionamento fica mais gostoso, malicioso e cheio de cumplicidade. Há quem duvide de que escutará um dia um homem ou uma mulher reclamarem disso.

As que estão querendo experimentar a tomar as iniciativas no sexo, não se arrependerão, mas existe algumas maneiras de tomar a iniciativa e para isso, é preciso entender o que os homens realmente querem, para saber o que deve ser feito.
O que eles querem?
Em primeiro lugar, eles esperam que a mulher assuma, pelo menos de vez em quando, o controle do acto sexual. Isso se resume em: tomar a iniciativa (e não precisa esperar que ele peça), que tenha um papel activo durante as preliminares e durante o acto e, de preferência, que se posicione por cima dele durante a relação, controlando assim o orgasmo dele.
Como as mulheres devem agir: "a iniciativa"
É fundamental que a mulher conheça um pouco seu parceiro para saber se tem que ir com calma na iniciativa, ou se pode de vez em quando, experimentar uma iniciativa daquelas arrasadoras, de tirar o fôlego, pois tem gosto para tudo, e isso, é bom ser respeitado. Assim como tem mulheres que gostam de tudo mais romântico e mais devagar, existem outras que gostam de uma abordagem mais calorosa e selvagem. Mas ainda assim, as palavras carinhosas e picantes não podem faltar.

Em geral, o homem aguarda sempre um pequeno sinal da mulher, pois como eles mesmo dizem, geralmente são as mulheres que dão o "sinal verde" para o sexo. Às vezes, um olhar, uma passada de mão fora de hora, ou o facto da mulher querer se deitar juntinho dele, já são motivos para ele demonstrar a ela que também está "cheio de amor para dar". Por isso mesmo que não é difícil para a mulher saber quando pode tomar a iniciativa e dominá-lo sexualmente.
Lábios de mel
Tem jeito melhor de começar?

A boca é uma fonte inesgotável de prazer, e também uma característica bem feminina de sedução, que enlouquece os homens.

Um corpo todo pode ser explorado pela boca. Eu disse "todo"!!!
Por cima dele
Essa posição tem vantagens anatómicas, favorecendo o orgasmo para ambos e aliada ao domínio que a mulher impõe sobre o homem, é algo extremamente excitante para ele. Quando a mulher está por cima do homem, ele se sente dominado (e já constatamos que eles gostam), além de sentir que a mulher está realmente querendo fazer amor com ele e não apenas que a mulher está permitindo que ele faça com ela. Fica excitado porque além de se sentir dominado e não ter que ficar comandando todos os movimentos, ele ainda pode assistir a mulher numa coreografia surpreendente.

As opções de iniciativa são muitas. Você pode começar por um jantar, no restaurante, dançando, e revelando apenas em insinuações o que vai fazer com ele. Pode marcar de se encontrar em algum lugar, longe de qualquer preocupação, pode esperar que ele chegue a casa e surpreendê-lo já na porta, pode participar do banho com ele ou até mesmo deixar para iniciar sua investida na hora de irem para a cama e maliciosamente, prender levemente os pulsos dele na cama, com um lenço de seda, e abusar totalmente dele, da cabeça à pontinha dos dedos do pé. .

22 junho 2007

Descoberta a causa da paixonite aguda


Quem está apaixonado, pode estar doente e não sabe!
Calma, calma, não precisa fazer exames nem ir correndo ao médico.

Esta conclusão veio com o resultado de uma pesquisa organizada pela psiquiatra Donatella Marazziti, da Universidade de Pisa, na Itália. Isso só ajudou a confirmar o que muitos cientistas já suspeitavam: a paixão pode ser mesmo uma doença.

Segundo o resultado do estudo, os apaixonados têm cerca de 40% menos serotonina no cérebro que as pessoas "normais".

Esta é uma substância chamada de neurotransmissor que existe no nosso cérebro e serve para conduzir a transmissão de uma célula nervosa (neurónio) para outra. É, também, uma das responsáveis pelo controle do apetite, do sono, do humor, da ansiedade, e até da agressividade.

Tudo isso explica a maneira de se comportar daqueles que estão apaixonados. Perder o apetite, não dormir direito, ter palpitações, etc; tudo isso deixou de ser encarado como um mero capricho para ser analisado com mais profundidade.

Mas, para a frustração de quem pensa que pode morrer de paixão, o estudo também fez outras descobertas. Os sintomas duram, em média, seis meses, assim como a paixão em si. Esta é uma boa notícia para quem não é correspondido. O tempo de sofrimento é até suportável.

Já para quem está vivendo uma grande e feliz paixão correspondida, não há motivo para desespero. Quando acaba essa fase, a paixão pode-se transformar noutros sentimentos. Isso depende de como foi conduzida a relação.

Para a psicóloga especializada em Sexualidade Humana - Lucianne Fernandes, "a paixão é cega, instantânea e pode ser unilateral. Normalmente, o apaixonado não consegue ficar longe do objecto da paixão. O amor já é mais bilateral, um sentimento mais maduro, onde ambos podem amadurecer e evoluírem juntos".

Se a pessoa apaixonada não for correspondida e perder o interesse pelas pessoas e actividades que antes fazia frequentemente, ela deve procurar o apoio da família e dos amigos. Em muitos casos, pode-se iniciar um quadro depressivo e isso exige um pouco mais de atenção. Para Dra. Lucianne, a alternativa mais adequada é procurar ajuda através de um profissional da área da saúde. "Pode-se estar a adoecer por causa da paixão", completa a psicóloga.Ela ainda diz que a paixão não dura muito, mas pode ter um final trágico como, por exemplo, passar a desprezar ou mesmo odiar o objecto da paixão. E isso também trará sofrimento. .

18 junho 2007

Orgasmo múltiplo do homem




Sempre pensei no orgasmo masculino como um jacto de esperma. Quando se desconhece detalhes sobre alguma coisa, geralmente limita-se esta “coisa” apenas àquilo que se pode “ver” dela. Ao iniciar meus estudos autodidactas sobre a sexualidade humana, fiquei surpreso ao me deparar com tantos detalhes curiosos que envolvem o funcionamento do nosso corpo, bem como o processo de descoberta dessas funções ao longo da história da humanidade. Sobre o orgasmo masculino, o que mais me surpreendeu foi saber que, ao contrário do que muita gente pensa, ejacular e gozar (ter orgasmo) são dois processos independentes. A ejaculação é um processo mecânico, mediado por um hormônio chamado adrenalina, enquanto o orgasmo é uma descarga de sensações mediada pela acetilcolina.
Vamos trocar tudo isso, por palavras de “mortais”. É possível e comum que os homens ejaculem e gozem simultaneamente, mas os dois acontecimentos são isolados um do outro, ou seja, um homem pode ejacular sem ter orgasmo e pode ter orgasmo sem ejacular!! Não é maravilhoso? E é uma pena que muitos ignorem esta possibilidade, pois isso significa que o orgasmo masculino não é assim tão limitado quanto pensam alguns... Aquela história de “depois que gozar/ejacular tem que descansar um pouquinho até conseguir nova erecção e, consequentemente, novo orgasmo”, perde a validade e isso é uma boa notícia não somente para os homens, mas principalmente para as mulheres que ficam de mãos no queixo enquanto o “coitado” descansa.
A ejaculação pode ocorrer durante o sono, sem qualquer estimulação erótica, ou diante de uma situação de pânico, susto, stress, quando ocorre uma forte descarga de adrenalina no organismo. Por sua vez, o orgasmo sem ejaculação ocorre geralmente com mais frequência em adolescentes, ou meninos que ainda não tiveram sua primeira ejaculação, ou ainda em homens mais velhos ou que sofreram cirurgia da próstata. Vocês devem estar se perguntando: e os outros não podem gozar sem ejacular? Claro que podem. É tudo uma questão de hábito, de cultura. O homem ocidental aprendeu a associar sua masculinidade à ejaculação, por isso para a maioria deles o sexo se resume em erecção/ejaculação deixando, portanto, de experimentar infinitas outras possibilidades de prazer. No Oriente, existe uma cultura diferente com relação ao orgasmo masculino. Lá, os meninos aprendem desde a puberdade, que só é necessário ejacular quando se pretende engravidar uma mulher. Aprendem também que ejacular causa a perda da erecção naquele momento, provoca a exaustão física deixando o homem impossibilitado de continuar o exercício sexual que estava praticando, bem como de alcançar outros orgasmos em seguida. Os chineses sabem disso há mais de 3.000 anos. Na Índia, a literatura tântrica discute o assunto detalhadamente. Aqui no Ocidente algumas obras científicas sobre o assunto já podem ser consultadas. Você pode ler mais sobre este assunto no livro O Orgasmo Múltiplo do Homem, Mantak Shia e Douglas Abrams Arava, Ed. Objectiva, 1996.
O certo é que devemos estar sempre dispostos a aprender sobre sexo, pois com relação à este assunto nosso conhecimento ainda deixa muito a desejar.

14 junho 2007

Como excitar uma mulher!


Manual para o homem.

O mais importante, tratando-se de sexo, em relação à mulher é prepará-la. É muito difícil encontrar uma mulher que, frente a frente, possa atirá-la para a cama e em 10 minutos já esta a ter sexo com ela e ela estar gostando disso tanto quanto você, principalmente, se essa for a primeira vez que vão para cama. Terá primeiro que provocá-la, excitá-la. E isso começa no rala e rola quando ainda estão vestidos. Abrace-a, puxe-a para bem perto de si, cole seu corpo no dela, suba as mãos pelas costas até a nuca, beije o pescoço (sem deixar marcas), beije a orelha suavemente deixando-a ouvir a sua respiração (respire normalmente, nada artificial) mas beije só o lóbulo e somente com os lábios, muitas mulheres, por incrível que pareça, não gostam disso, principalmente se enfiarem a língua dentro da orelha dela. Mas se ela gostar, ...
Comece a explorar o corpo dela vagarosamente mas com firmeza (isso não significa força e sim com vontade). Comece a provocá-la, desça a mão pelas costas e toque nas nádegas e pernas, suba e passe por entre os seios beijando-a ou simplesmente olhando para ela, passe a mão por entre as coxas, enfim vá passeando por todo corpo durante algum tempo procurando não só provocá-la, mas também sentir e conhecer o corpo dela, as suas curvas, a textura da sua pele, tudo sem tocar nas zonas erógenas, ... ainda. Isso é como um jogo, não se deve baixar as melhores cartas logo.
Conforme ela for cedendo, vá contornando e contornando os seios até chegar nos mamilos, se ela ainda estiver com roupa, vire a mão e passe suavemente as costas dos dedos entreabertos ou as unhas, mas tem que ser com os quatro dedos para dar aquela trepidação, que é deliciosa, prenda o mamilo entre seus dedos e aperte suavemente. Só passe a unha (coçando) se ela estiver de soutien ou blusa, se não nem pensar.
Brinque assim por algum tempo, sempre com carinho e sem pressa, a menos que ela também esteja em ponto de bala, o que, volto a dizer, acontece raramente. (Detalhe: isso não quer dizer que a mulher nunca tem urgência, mas pense bem, se já teve uma mulher em ponto de bala, antes mesmo de tirarem a roupa, é porque há muito que já vinha a criar uma tensão mesmo que não intencional, ou seja, de um modo ou de outro, excitando-a e provocando-a, e isso às vezes gera um efeito nas mulheres como nos homens.

Continuando, se a posição em que estiver permitir, toque os dois seios ao mesmo tempo, não tem problema se não der, não precisa fazer contorcionismo ou equlibrismo, então desça do seios "ground" por sua barriga e quadril e passe a mão na parte interna da coxa, sempre suavemente. Se ainda não estiverem deitados essa é uma boa hora, pois se ela estiver nervosa as pernas dela vão começar a tremer (Aí, garanhão!).
Comece a fazer movimentos circulares e vá-se aproximando vagarosa e perigosamente da virilha, esse suspense mata. Quando ela já estiver bem ansiosa, beije-a com carinho e meta a mão por entre as pernas fazendo uma leve pressão (se ela ainda estiver de roupa).
Continue, beijando-a, beijando seu corpo, deixe-a fazer o que quiser, se ainda estiverem vestidos comece a tirar a roupa dela e se ela não tirar a tua tira tu mesmo, pois é um pouco desagradável ficar só ela nua e nos todos vestidos. Vá sempre devagar, beijando-a, ... não pare tudo e tire toda sua roupa, que além de interromper algo que estava muito bom, se ela for tímida, vai ficar constrangida.
A maioria das mulheres são tímidas, no que diz respeito a seus corpos. Mesmo que se tenha a mulher mais maravilhosa do mundo na cama connosco , ela irá preocupar-se com o que nos achamos do corpo dela. Diga-lhe que é bonito, diga-lhe que partes que gosta mais (de verdade), mesmo enquanto ainda estiverem tirando as roupas.
Toque-a agora nua, pode seguir o mesmo "roteiro" que fez com roupa, só que desta vez, com ela nua, você vai ter o prazer de sentir toda a extensão da pele e curvas, na íntegra, sem nada entre sua pele e a dela.
Toque-a sempre com o mesmo objectivo, provocá-la, só não se esqueça de não usar as unhas nos mamilos, use os dedos, ou ainda, a palma da mão esticada (fazendo movimentos circulares), os lábios, a língua. Continue passeando pelo corpo dela.
Quando for acariciando a coxa, faça o jogo de aproximação perigosa, não deslize a mão directamente para entre suas pernas, vá devagar, indo e voltando um pouquinho, chegando cada vez mais perto, voltando, chegando mais perto ainda, voltando, em movimentos circulares, até chegar lá.
Chegando lá - o lá, é lá mesmo, na fenda, pois o lado de fora dos grandes lábios e a púbis (triângulo) ainda fazem parte do percurso e da aproximação perigosa - bom, chegando lá, o primeiro lugar que irá tocar é a entrada da vagina, por um simples motivo, tem que verificar se ela está molhada, não pode tocá-la se estiver seca.
A maioria das mulheres quando excitadas, produzem um suco que serve para lubrificar a área genital por outro simples motivo, para não haver atrito, pois é desagradável. Essa região é muito sensível ao toque e para que ele ocorra sem atritos, a vagina libera um líquido que lubrifica a região, tornando o toque escorregadio.
OBS.: Mas se ela não estiver molhada, não significa que ela não está excitada. Algumas mulheres produzem pouco suco,pode então lamber os dedos e usar sua saliva para tornar o toque escorregadio. Quanto a saber se ela está excitada ou não, há outros indícios como mamilos endurecidos, respiração rápida/ofegante, rosto vermelho, torso .. mas se quiser ter certeza, basta olhar nos olhos dela e ter um mínimo de sensibilidade, nenhuma mulher consegue fingir se encarada de frente.
Continuando, é muito importante que seus dedos estejam lubrificados ao tocar a área, portanto, trate de lambê-los ou humedecê-los com o suco que sai da entrada da vagina, pois a sensação de atrito é desagradável e irritante. E por essa mesma razão, sempre que tocar numa mulher deve começar a fazê-lo suavemente e esteja certo, por todos os meios, de que seus dedos estarão humedecidos antes de tocar no clitóris, porque dele não sai líquido algum e é extremamente sensível, mais que a cabeça do nosso pénis.
Toque-a carinhosa, suave e vagarosamente, não faça movimentos rápidos a menos que ela lhe peça por palavras ou conduzindo-lhe. O seu objectivo é chegar ao sexo oral e você já está quase lá.
Como já disse a maioria das mulheres são tímidas sobre seus corpos, mais ainda no que diz respeito ao seu órgão genital, portanto, diga-lhe que é bonito, elogie mas não exagere ou comece a declamar, diga coisas simples como parecer uma flor ou mais abstractas tipo o quanto é suave, etc., diga-lhe qualquer coisa, mas faça ela confiar em si o bastante para deixá-lo descer até entre suas pernas. Agora pare, e olhe o que você vê. Bonito, não é?
A "área" chama-se vulva - composta de grandes lábios (pele normal com pêlos) pequenos lábios (pele rosada ou vermelha como a cabeça do seu pénis, alguns são multicolor, roxinhos com a beirada acizentada, outros mais compridinhos), entrada da vagina (sem comentários) acima dela o orifício urinário e acima dele, acima da junção dos pequenos lábios está ... a pérola, ... o clitóris ou pelo menos a terminação dele (procure num livro de biologia ou na Internet)
Não há nada que faça uma mulher mais única e original do que o seu órgão genital. Nunca irá encontrar um igual a outro. Vêm em todos os tamanhos, cores e formas diferentes; alguns são dobrados para dentro como de bebés e outros têm lascivos lábios grossos que aparecem para cumprimentá-lo.
Alguns estão aninhados numa escova de pêlos, outros são cobertos com uma pequena camada de pêlos claros, quase transparente, e outros, depilados em parte ou em todo mostrando a pele. Aprecie as qualidades originais da sua mulher e diga-lhe o que a faz especial. As mulheres são bem mais verbais e auditivas (gostam de falar e ouvir) do que os homens, especialmente durante o sexo. Respondem também mais ao amor verbal que os homens, o que significa que quanto mais falar com ela, mais fácil será conquistá-la. Assim, enquanto a estiver tocando fale com ela, converse com ela sobre o que lhe agrada mais, afinal de contas estará testando para saber do que ela gosta.
Agora olhe outra vez. Separe delicadamente (com o polegar) os grandes lábios e olhe os pequenos lábios (lábios internos). Olhe para eles e siga o olhar para cima até que possa encontrar a junção deles, logo acima dessa junção estará o clitóris, o ponto sexual mais sensível do corpo de uma mulher.
As mulheres têm clitóris de todos os tamanhos diferentes, possíveis e imagináveis, assim como os homens têm pénis de tamanhos e formas diferentes. Mas isso não significa nada em relação à capacidade de ter orgasmos. Tudo o que significa, é que o dela é mais escondido debaixo da pele. E isso não é sem razão, o clitóris tem o mesmo número de terminações nervosas da cabeça do pénis, tudo concentrado nesse ponto que às vezes tem o tamanho de uma pérola, se não houvesse uma pele por cima protegendo-o o toque teria de ser extremamente cuidadoso ou causaria dor.
Prepare-se então para começar a mais memorável carícia que uma mulher pode receber, o sexo oral. A melhor posição é ela deitada de costas (barriga para cima) e entre as pernas dela. Dessa forma tem visão total do corpo dela, do rosto, e fica com as mãos e braços livres para acariciar as coxas, nádegas, barriga e seios, e até mesmo para lhe dar a mão se ela ficar muito nervosa.

Existem quatro coisas que não pode esquecer:
1 - Mantenha a sua língua sempre humedecida para ela deslizar e não entrar em atrito.
2- Mantenha a sua língua mais relaxada, maleável, não a endureça, ela terá que se moldar às formas da sua mulher. Se quiser fazer ponta (na língua) estique-a (colocando para fora) não a endureça.
3- Cuidado com os dentes
4- Cuidado com a barba. Se estiver com aquela barba por fazer então, faça, pois imagine essa lixa na cabeça do seu pénis... pois é, as mulheres são mais sensíveis ainda.
Mas, ainda não vai tocar no clitóris, ... ainda. Tem que trabalhar até chegar lá. Faça a mesma aproximação lenta e torturante que fez com as mãos.
Mulheres, mais do que homens, AMAM essa tortura do quase toque. Ameaçar tocar e voltar afastando um pouquinho. Faça-a passar momentos de suspense em dois pontos, primeiro passeando perigosamente pela coxa, antes de chegar na área genital (fase pela qual já passamos com as mão e refaremos com a boca) e o segundo ponto, já dentro da área genital, passeando perigosamente pela vulva, antes de chegar ao clitóris.
No primeiro, beije a virilha, a coxa interna, a barriga, o umbigo, vá rondando e aproximando-se perigosamente da vulva e volte um pouquinho, ... até finalmente tocar a área genital.
Nota importante: Novamente o lance da aproximação perigosa, e do quase toque. Isso é muito importante pois faz-lhe antecipar o que será quando chegar lá, gerando uma certa urgência do toque, que finalmente deixa a mulher em ponto de bala. Quando eu digo aproxime-se e volte não é para voltar para longe da área pois ao invés de criar suspense, gerará frustração. Exemplo: Comece a beijar sua coxa, passe pela virilha e quase toque os grandes lábios, aí volte, ... mas não para a coxa (muito longe) e sim para a virilha. Entendeu?
Ao chegar à área genital, passe a língua longa e lentamente por toda a sua extensão começando pela base da vagina, mas por cima, sem enfiar a língua por dentro, e inicie o segundo momento de suspense. Vá então, lambendo toda área, beije, faça círculos com a língua, oitos com a ponta de sua língua sempre com suavidade.
Meta a cara entre as pernas dela e vá lambendo sem fazer pressão forte para deixá-la louca de vontade de sentir a sua língua directo lá. Faça-a antecipá-lo. Faça saber que no final daquele movimento você vai chegar lá, pois até agora você ainda está só por cima da vulva.
Depois de a por num ponto em que vai estar mexendo-se e esticando-se para ter a sua língua um pouco mais perto de onde ela quer (dentro dos grandes lábios) satisfaça esse primeiro desejo, coloque a boca, ou melhor, os lábios bem no topo da fenda, na parte de cima da área genital, e meta a língua por entre essa fenda abrindo-a delicadamente. Beije-a, delicadamente.
Agora use sua língua para separar seus os grandes lábios (se já não estiverem abertos, claro) que se pegam aos pequenos lábios e fecham ao incharem pela excitação, e depois os pequenos lábios (idem/idem), movimente a sua língua para cima e para baixo entre as camadas.
A parte interna dos lábios é muito macia... vai gostar. Procure não tocar no clitóris ainda, chegue perigosamente perto dele, e aí flutue afastando. Fique a passar a língua, sempre humedecida, pela fenda entre os grandes e os pequenos lábios, mas sem tocar o clitóris directamente.
Se ela ainda estiver com as pernas semi abertas, dobre-as e abra-as delicadamente com suas mãos, sem parar. Tudo que você faz com uma mulher que está pronta para ter sexo deve ser feito delicadamente.
Então, comece a lamber a entrada da vagina, penetre um pouquinho a vagina com sua língua, mesmo que ela seja virgem a sua língua pode passear pela entrada. Isto é divino e vai deixá-la louca porque agora ela vai querer desesperada mente que dê alguma atenção ao seu clitóris.
Só para fazê-la quase implorar, passe a ponta de sua língua pelos lados do clitóris (se não puder localizá-lo, trace um faixa imaginária de 1 cm bem no meio e passeie pela sua beirada, assim não atingirá o clitóris, só a área lateral).
Preste atenção. Assim como seu pénis, toda a área genital aumenta de volume, e assim como o pénis, o clitóris fica rígido e salta um pouco para fora juntamente com a pele que o cobre. Se conseguir visualizá-lo, passe a língua para sentí-lo. Mas, mesmo se não puder vê-lo, ele está lá à sua espera, irá senti-lo debaixo da pele ao lamber. Ele será o ponto entumecido, endurecido, logo acima onde o pequeno lábio direito se encontra com o pequeno lábio esquerdo. Mas se mesmo assim não puder sentir essa pérola minúscula, pode lamber a pele que fica nesse lugar, que o estará atingindo.
Comece então a beijar directamente o clitóris, o primeiro toque deve ser suave e delicado quase não o tocando (cuidado com os dentes), depois comece a lambê-lo lentamente e ao localizá-lo efectivamente, dedique-se a ele, vá lambendo-o devagar usando cada vez um pouco mais de força e pressão.
Afaste delicadamente as bordas dos grandes lábios expondo ainda mais o clitóris e aumente muito pouco a velocidade friccionando a sua língua ao seu encontro, coberto ou não. Comece então a dar mais rapidez e pressão ao seus movimentos, mas observe-a, muitas mulheres só gostam do movimento rápido quando estão prestes a ter o orgasmo, e ainda há as que preferem sempre devagar ou sempre rápido.
A grande excitação que sente, deve fazer com que ela instintivamente feche as pernas. Segure-as, pois a um certo ponto, ela vai começar a mexer-se anunciado a aproximação de seu orgasmo - a maioria das mulheres jogam o quadril para frente e para cima quando estão a ter o orgasmo - quando sentir que ela está prestes a tê-lo, faça um O com seus lábios e coloque o clitóris na sua boca (cuidado com os dentes) e comece a chupar levemente passando a língua.
Comece sugar delicadamente e a prestar atenção ao rosto dela para ver a sua reacção. Se ela puder aguentar, vá vagarosamente aumentando a pressão chupando mais forte e movimentando mais rápido a língua. Se ela tentar fugir sugue mais forte ainda, obviamente guardadas as devidas proporções, não vire um desentupidor de pia.
Ao ter um orgasmo, a vagina da mulher contrai-se involuntariamente, numa reacção a ele, assim como ejacula. O único meio de fazer uma comparação que possa realizar é a do esfíncter anal, sim, contraia o seu anus, como se fosse fechá-lo, é mais ou menos assim, a diferença é que ao contrair o seu anus só o esfíncter é contraído, 1 segundo após o orgasmo a vagina inteira sofre uma série de contracções involuntárias com intervalos de menos de 1 segundo inicialmente, e isso posso-lhe garantir que é impossível fazer voluntariamente, não com essa rapidez, portanto, fingir orgasmo, só para quem não tem esse conhecimento. Outra reacção ao orgasmo é o aumento do líquido que lubrifica a vagina, mas às vezes esse aumento não é substancial.
Quando ela estiver ater o orgasmo, vá com ela. Se ela levantar o quadril no ar com a tensão do seu orgasmo (95% das mulheres fazem isso), mova-se com ela, não a impeça de se movimentar, acompanhe o movimento. Mantenha a sua boca quente no seu clitóris. Não a deixe ir.
Se ela começar a gemer e gritar: ' Não pare! ' Há uma razão para isso, é que a maioria dos homens para logo depois que a mulher tem o primeiro orgasmo e algumas mulheres podem ter 2, 3, 4, ... orgasmos, seguidos ou com alguns segundos ou minutos de intervalo.
Depois disso meu amigo, ela está nas suas mãos. Muitas mulheres tem apenas 1, mas forte, orgasmo. Se esse for o caso da sua, deixe-a descansar por alguns minutos e então recomece a tocá-la. Mas, eu acredito que toda mulher é capaz de ter vários orgasmos e que, em um deles, pode ter a satisfação de estar penetrando e sentir as suas contracções vaginais por toda extensão de seu pénis
Há uma outra coisa que você pode fazer para intensificar o prazer dela, mas sempre verificando se isso a agrada. Pode penetrar a vagina com o dedo, antes, durante ou em seguida ao orgasmo. Recomendo em seguida ao primeiro que é algo para provocar o segundo. Pois, além das zonas erógenas que cercam seu clitóris, a mulher tem uma outra área extremamente sensível no tecto ao meio de seu canal vaginal (ela deitada de barriga para cima). Este é o ponto que você fricciona quando você está a penetra-la. Também conhecido como Ponto G.
Quantos dedos? Comece com 1. Mas ficar só 1 é muito estreito, e três já fica largo e não pode consequentemente penetrar o bastante. Portanto siga a lei do 1 é pouco, 2 é bom e 3 é demais, e fique com dois dedos.
Certifique-se que estão molhados. Deslize-os para dentro, lentamente no início, massajando o "tecto" da vagina em micro círculos até penetrar todo o(s) dedo(s) e então vá e volte assim, em pequenos movimentos circulares, ficando um pouco mais rápido depois. Sempre com movimentos rítmicos, não se esqueça que ainda está fazendo o oral. Aumente a velocidade somente quando ela pedir o que poderá ser por palavras, ou gemidos. Escute a sua respiração. Ela o dirá o que fazer.
Se estiver a sugar o clitóris e penetrando com os dedos ao mesmo tempo, está dando-lhe muito mais estimulação do que estaria dando com seu pénis sozinho. Imagine se ainda der para tocar nos seios (Ai, ai ...). Você pode ter certeza de que ela estará nas nuvens. Se houver alguma dúvida, verifique os sintomas. Cada mulher é única.Pode ter uma cujos mamilos ficam duros quando está excitada ou somente quando está tendo um orgasmo. A sua mulher pode ficar vermelha, rosada ou começar a tremer. Conheça os sintomas pessoais da sua mulher, e será um amante mais sensível e experiente.
Quando ela começar a ter outro orgasmo, pelo amor de Deus não se afaste desse clitóris. Mantenha-se lá firme e forte enquanto durar, seja lá quantos forem. Quando começar a vir o orgasmo, pressione a sua língua na parte de baixo do clitóris, deixando seus lábios cobrirem o alto (cuidado com os dentes de novo). Mova a sua língua dentro e fora da sua boca até onde alcançar, sem deixar de tocar o clitóris.
Se os seus dedos estiverem dentro, mova-os também, mas delicadamente, as coisas estão extremamente sensíveis agora. Sejogar as cartas certas, conseguirá alguns orgasmos múltiplos. As mulheres podem permanecer excitadas por mais de uma hora depois de terem um orgasmo.
E aí é festa, depois que ela tiver 1 ou + orgasmos, então será a sua vez, ela está entregue, faça o que quiser. Só uma coisinha, o objectivo aqui é o sexo oral, principalmente fazê-la ter muitos orgasmos e de logicamente, fazê-la apaixonar-se por si. Alguma mulheres ficam exaustas principalmente se tiverem uma série de orgasmos seguidos, por isso se não esteve dentro em algum deles,terá que esperar uma próxima sessão, que pode ser extra (Uau!). Mas, se ficar para outro dia, não fique triste que isso conta pontos e na próxima já saberá quando participar.
O último conselho que eu tenho para todos é: Depois que você a fez ter orgasmos até não aguentar, coloque-a nos seus braços e dê-lhe a melhor acolhida possível, não a deixe sozinha neste momento. Converse com ela, afague os seus cabelos, abrace o seu corpo, faça carícias suaves nos seus seios. Mantenha-a aninhada nos seus braços e corpo, calmamente, até ela relaxar por completo.
Um homem, ao terminar, pode simplesmente ir dormir na mesma hora sem sentir nenhum remorso e nenhum sentido de perda. Mas uma mulher por natureza, requer alguma sensibilidade do seu amante naqueles primeiros poucos minutos após o sexo.
O sexo oral pode ser a experiência mais emocionante e excitante que pode proporcionar. Será o que quiser que seja. Tome seu tempo, pratique frequentemente, preste atenção aos sinais de sua parceira , e sobretudo, aprecie.
Boa sorte! .

11 junho 2007

O terror secreto masculino


Não é à toa que a maior preocupação do homem no sexo seja a impotência, mesmo que eventual. A cultura ocidental, além de esperar que ele seja forte, corajoso e tenha sucesso em tudo, associou a ideia de masculinidade à potência sexual. Os homens bem que se esforçam, perseguem esse ideal masculino, mas, não podendo alcançá-lo, se sentem oprimidos e desenvolvem o pavor de falhar na cama. O homem presta mais atenção ao seu pénis do que a qualquer outra coisa. Há quem diga até que se pedíssemos para alguém dizer qual a coisa mais importante do mundo, em toda sua história, a resposta com certeza seria: o pénis.

Sem dúvida, o homem dedica-lhe mais afagos e zelo do que a qualquer outra parte do corpo. Protege-o acima de tudo. Além disso, é gratificante poder se orgulhar do próprio pénis: seu tamanho, forma, qualidade e desempenho. Assim, tudo o que corrói esse orgulho corrói o próprio homem. Para ele, o pénis é de suprema importância. Nada que o afecta deixa de afectar o homem na mesma proporção, e vice-versa. Na maioria das vezes a preocupação primeira quando se dirige ao ato sexual é confirmar que é "macho". E quanto melhor a erecção mais macho ele se sente. A erecção é então o centro de gravidade do seu ser.

E quando a erecção não acontece ou não se mantém? O psicanalista argentino J.C. Kusnetzoff afirma que a ausência da erecção precipita o macho no Nada sartreano. Uma angústia impossível de expressar em palavras o invade, um medo ancestral que vem lá do fundo da sua história filogenética, como a água que rompe um dique. Para o homem, o símbolo da masculinidade e do ser não é o pénis, e sim o pénis erecto. Nenhum homem pode se conceber como tal quando a erecção falha, pois para ele a erecção é a sua essência, assim com a água é para o rio que, ao secar, deixa de ser rio. Dessa forma, diz Kusnetzoff, quando isso acontece ele não quer ser consolado, e sim "curar-se" sozinho. Neste momento deseja desaparecer magicamente e voltar montado no pénis erecto, como cavaleiro ressuscitado do apocalipse vivido.

Contudo, para ser considerada disfunção eréctil - termo usado na literatura médica para a impotência - a incapacidade de obter erecção ou manter o pénis rígido para a penetração deve ser um fato que se repete e não um episódio. A questão é que quando isso ocorre pela primeira vez o homem fica tão abalado que há grandes chances de acontecer novamente, por causa da sua insegurança.

É muito maior do que se pensa o número de homens que sofrem dessa disfunção. Só que eles não contam nem para o melhor amigo. Nos Estados Unidos, em recente estudo, 52% dos homens revelaram descontentamento com seu desempenho sexual. E a euforia causada pela entrada do Viagra no mercado brasileiro denunciou a enorme quantidade de homens sexualmente inseguros. As causas da impotência podem ser orgânicas ou psicológicas, por isso é necessária uma avaliação cuidadosa para a indicação de um tratamento adequado: médico, psicoterápico, ou terapia sexual. Mas o medo de aceitar a impotência, a vergonha, a dificuldade de contar para outra pessoa, levam o homem a demorar em média quatro anos para buscar ajuda no campo sexual.

Entretanto, grande parte dos casos de impotência deixará de existir quando o homem se libertar da obrigação de provar que é macho. Partir para o ato sexual apenas quando existir desejo real pela parceira e não se preocupar com a erecção são pré-requisitos fundamentais. Aí talvez seja possível experimentar o sexo com liberdade, simplesmente para obter e proporcionar prazer, longe de qualquer tipo de ansiedade.

06 junho 2007

Temores


Muitas pessoas evitam essa prática sexual ou a utilizam, sentindo-se ansiosas e constrangidas, apenas para agradar o parceiro. Além dos preconceitos morais, existe também a ideia de que o sexo oral-genital não seria uma actividade higiénica. Na verdade, porém, tais preocupações carecem - e muito - de fundamento. Se a pessoa se lava adequadamente, nenhum resto de urina ficará nos órgãos genitais. Com a higiene comum, os órgãos sexuais podem ficar tão livres de germes e bem cheirosos como qualquer outra parte do corpo.
Geralmente a boca contém muito mais germes do que o pénis ou a vulva. As secreções sexuais são substâncias proteínas e perfeitamente inofensivas.
Temores em relação ao sexo oral se manifestam de várias maneiras. Alguns alegam ser um sinal de imaturidade, afirmando que a única forma adulta de sexualidade seria o ato sexual na posição do missionário. Outros supõem que o uso da boca no sexo indicaria a falta de virilidade do homem e há também homens que têm medo de que a mulher se vicie no sexo oral genital e comece a preferi-lo à relação sexual. Mas parece que nada disso tem fundamento. As pesquisas indicam que cerca de 75% dos casais experimentam a estimulação oral genital e uns 40% a usam com alguma frequência, sendo que os que a praticam tendem a ser sexualmente melhor ajustados. "Aprender a encarar o sexo oral genital como uma actividade natural, saudável e permissível é um pré-requisito essencial para obter um grau máximo de prazer com ela. Somente dessa maneira seremos capazes de abordar o sexo oral genital como uma espécie de técnica amorosa de mútua cooperação, de mútua ajuda, que é característica da actividade sexual mais satisfatória."

01 junho 2007

Técnicas Árabes


Os árabes também se dedicavam ao estudo das técnicas sexuais, tendo produzido inúmeras obras no género, dentre elas a clássica "O Jardim Perfumado". Apesar de ter
sofrido forte influência dos escritos chineses e indianos, esta obra percorre assuntos dos mais diversos, tais como a traição ou as causas e curas da impotência.

Dentre estes vários assuntos merece destaque a busca pelo orgasmo simultâneo. São ensinadas inúmeras maneiras de excitar uma mulher, de retardar a penetração, e
de controlar a ejaculação para que a mulher possa atingir o orgasmo junto com seu parceiro. Eram levadas em consideração inclusive as proporções do casal, havendo
conselhos para homens magros e mulheres gordas, homens gordos e mulheres magras, sexo durante a gravidez e mulheres muito altas com homens baixos. Para os
homens de pénis muito grande, por exemplo, era indicada a clássica "posição missionária", na qual ambos deitam de frente, com o homem por cima.

Posições do jardim perfumado

Grande parte das posições sugeridas e retratadas no Jardim Perfumado são extraídas de manuais indianos, mas há algumas em especial destinadas aos atletas e pessoas
em boa forma física:

Barriga com barriga
O casal fica de pé, frente a frente. Ela separa as coxas e ele avança, colocando seus pés entre os dela. Um segura os quadris do outro e o homem então penetra. O
movimento deve ser leve e não muito profundo. Como esta posição faz com que os joelhos tremam, é aconselhável que o homem mantenha um pé pouco à frente do
outro, para que haja equilíbrio.

Colocando o prego no lugar
A mulher segura o homem pelo pescoço e abraça sua cintura com as coxas. Ela pode se apoiar em uma parede para que, suspensa, seja penetrada pelo homem.

A cambalhota
A mulher deve ficar de pé e se curvar até que a cabeça atinja, aproximadamente, a altura dos tornozelos. O homem então a vira de costas segurando-a pelas pernas.
Depois, com as pernas dobradas, ele leva o membro à vulva e faz a penetração.

28 maio 2007

Sexo é moda?


Como todas as linguagens, a das roupas levou séculos para ser construída, mantendo um diálogo permanente com a política, a religião e a economia.

Freud, o pai da psicanálise, dizia que o único espaço democrático era a praia, pois lá ninguém conseguía exibir seus brasões. Estava se referindo, claro, aos sinais externos de riqueza e poder cultivados pela sociedade burguesa e reprimida que ele tinha como clientela. Vestir-se é, pois, recriar o corpo, cobrindo-o de cultura. Talvez por isso a nudez dos índios tenha perturbado tanto os portugueses que desembarcaram em terras brasileiras.

Na história da moda, o Gênesis é a primeira referência entre o nu e o pecado. Depois de Adão ter provado o fruto do conhecimento, passou a distinguir o certo e o errado e viu que o certo era esconder o sexo atrás de um folha de parreira. Estava estabelecida, assim, uma relação íntima entre roupa e sexo. O signo, portanto, é o da repressão.

Ao longo dos séculos, o vestuário se esforçou para separar a identidade sexual. Os recursos, para isso, são descaradamente maniqueístas: rosa e azul, calça e vestido, sobriedade e futilidade. Tudo para deixar claro que existem duas formas diferentes e que estas devem ser respeitadas. Menino ou menina? A moda exige definições.

O vestuário masculino, ao contrário do que se pensa, sempre se mostrou mais transgressor, definindo o padrão que deveria ser seguído. As roupas femininas são uma construção do imaginário masculino e, consequentemente, do patriarcado. Por isso não apresentam sinais de uma identidade própria. No máximo, é uma moda imitativa, embora tenha se tornado mais inquieta no último século.

Hoje o conceito de moda está directamente ligado à expressão da sexualidade. Homens e mulheres se vestem de maneira sexy. Contudo, quando nos deparamos com a vestimenta transexual, ficamos perplexos e recorremos imediatamente à organização da diferença entre masculino e feminino. Haverá o dia que deixaremos de nos fixar somente nestas duas categorias?

25 maio 2007

Banho - faça desse momento um ritual!



Chegar em casa, cansado, depois de um dia tenso e entrar num banho demorado, de banheira ou de chuveiro, é uma delícia. Esse momento fica ainda melhor se ao banho for incorporado óleo essenciais.
Hoje, essas substâncias, que têm o poder de acalmar ou estimular, podem ser encontradas puros ou em formas de sabonetes, sais de banho e óleos para o corpo de várias marcas.
Os óleos essenciais já eram conhecidos pelos egípcios, que usufruíam de seus benefícios.
Eles são substâncias voláteis extraídas de folhas, flores e madeiras.
A aromaterapia é uma terapia alternativa para aliviar o stress do dia a dia. O químico francês René Maurice Gatefossé foi o primeiro a utilizar o termo aromaterapia no seu livro Aromaterapia, lançado em 1937. Ele estudou profundamente a utilização dos óleos essenciais e seus benefícios.
Hoje, acredita-se que a melhor maneira de se aplicar a aromaterapia é através de banhos, compressas, massagens e inalações. Então, não há motivo para esperar para fazer desse ritual um novo hábito.
Melhor ainda é dividir esse prazer com quem se ama. Prepare um banho para tomar a dois e mexa com todos os sentidos; assim, você tirará o máximo de proveito desse momento. Nesse dia, faça do banho um programa e reserve um tempinho maior para ele.
A temperatura da água é muito importante. A mais indicada é a água morna, em uma temperatura agradável. Para despertar os sentidos, experimente acender no banheiro umas velas coloridas para agradar a visão e deixar uma música rolando para premiar os ouvidos. O tacto fica por conta da companhia e os óleos cuidarão do olfacto.
Para os banhos de imersão, óleos essenciais puros são os mais indicados. Como são muito concentrados, devem ser usados com cuidado. E como água e óleo não se misturam, use uma receitinha simples: dissolva 3 a 7 gotas de óleo aromático em óleo vegetal ou mel. Mas não devemos esquecer dos sais, que também são óptimos para banheiras.
Sabonetes combinam mais com duchas e óleos para o corpo com essências de plantas, flores, frutas, folhas e raízes são óptimos após o banho, para uma massagem.
Se quiser dar ou receber a massagem já durante o banho, faça com a ajuda de escovas de cerdas naturais ou esponjas. Isso activará a circulação e proporcionará uma sensação deliciosa no corpo todo.
Cada aroma deve ser usado com um propósito. Eles podem ser estimulantes ou calmantes. Então, a escolha do aroma deve ser bem pensada para causar o efeito desejado.
Segundo o otorrinolaringologista Edson Mitre, o olfacto nos traz muitas lembranças e sensações.
"Este sentido evoca a memória, no nosso cérebro, mais precisamente a memória olfactiva, que é a área que permite relacionar uma sensação olfactiva a algo que já conhecemos", diz Dr. Mitre. "Da mesma forma, esta memória olfactiva também pode evocar lembranças de situações vivenciadas na presença de um determinado perfume ou odor, trazendo à consciência uma sensação de prazer ", completa.
Então, já que os aromas são tão poderosos, faça um convite, prepare um banho e use o cheiro como seu aliado.
ESCOLHA O AROMA CERTO:
Nós seleccionamos alguns óleos essenciais com algumas de suas propriedades. Alguns óleos têm restrições contra o uso. Então, consulte um especialista antes de iniciar um tratamento mais sério. Mas já pode ir se divertindo no banho sem problema algum.
ALECRIM - tem propriedades estimulantes, é analgésico e adstringente. Activa a memória e os nervos. Deriva das folhas e flores da planta. Age contra o desânimo.
BERGAMOTA - é refrescante e analgésico. Deriva da casca de frutas. É também antidepressivo e age contra cistite.
CAMOMILA AMARELA - é analgésico e tem propriedades diuréticas. É extraída das flores e age contra cólicas menstruais, infecção, depressão, nervosismo, estafa e insónia.
CÂNFORA - é antidepressivo e tranquilizante. É extraída da madeira de árvores. Age contra acne.
Obs.: Não utilizar na gravidez, epilepsia e em peles sensíveis.
CEDRO - é extraída da madeira. Tem propriedades diurética, anti-séptica e adstringente. Age contra gonorreia.
Obs.: Não utilizar na gravidez.
CIPRESTE - é extraído das folhas e pinhas das árvores. É refrescante e relaxante para banhos. Auxilia a regularizar o fluxo menstrual, a menopausa, alivia hemorróidas e age contra varizes e celulite.
EUCALIPTO - tem propriedades desinfectantes; é cicatrizante, antitérmico, analgésico e diurético.
Age contra gonorreia e cistite.
GERÂNIO - derivada das folhas e hastes da planta. Tem propriedades estimulantes; é antidepressivo, anti-séptico, analgésico e diurético. É também regulador hormonal ,agindo com eficácia nos distúrbios hormonais.
HISSOPO - derivada de flores. Tem propriedades estimulantes. Age contra gases.
HORTELÃ-PIMENTA - extraída de toda a planta. Tem propriedades analgésicas; é sedativo, antitérmico, anti-séptico e antiinflamatório. Age contra a dor de cabeça.
ILANGUE ILANGUE - extraída das flores da árvore. Tem propriedades calmantes. É afrodisíaco. Age contra ansiedade, disfunção sexual masculina e feminina.
JASMIM - derivada das flores. Tem propriedades antidepressivas e relaxantes. É afrodisíaco. Age contra dores menstruais, disfunção sexual masculina e feminina. Facilita o parto.
LARANJA - extraída da casca da laranja. Tem propriedades calmantes. Age contra insónia, e ansiedade.
LAVANDA - extraída das flores. Tem propriedades tranquilizantes; é anti-séptico, diurético, desintoxicante e desodorante. Age contra ansiedade, depressão, insónia e dores de cabeça.
LIMÃO - extraída da casca da fruta. Tem propriedades antibactericidas; é anti-séptico e diurético.
Age contra hipertensão e gonorreia.
MANJERONA - extraída da planta. Tem propriedades sedativas; é aquecedora. Age contra dores de cabeça, gases, hipertensão e insónia.
MELISSA - extraída da planta. Tem propriedades calmantes e é antidepressivo. Age contra ansiedade e dores menstruais.
PAU-DE-ROSAS - derivada da casca da árvore. Tem propriedades calmantes e desodorantes.
Age contra dores de cabeça, estrias, nervosismo e cansaço.
ROSA - extraída das pétalas de flores. Tem propriedades antidepressivas e regulador menstrual. É afrodisíaco. Age contra dores de cabeça, doenças genitais, depressão, mágoa, insónia e tensão pré-menstrual.
SÁLVIA - derivada das flores. Tem propriedades tranquilizantes e anti-sépticas. É afrodisíaco.
Age contra disfunção sexual masculina e feminina, tensão pré-menstrual, depressão e medo.
SÂNDALO - extraída da madeira interna da árvore. Tem propriedades anti-sépticas e diuréticas. É afrodisíaco. Age contra corrimentos vaginais, gonorreia, disfunção sexual masculina e feminina, depressão e insónia.
TANGERINA - derivada da casca da fruta. Tem propriedades calmantes e analgésicas. Age contra o nervosismo.
ALGUNS CUIDADOS PARA CONSERVAR OS ÓLEOS ESSENCIAIS - Os óleos essenciais não podem ser expostos à luz directa e nem ao calor. Devem ser guardados bem fechados em lugares frescos e escuros para que não sofram alterações.

21 maio 2007

O que é fidelidade



"Diz-se daquele que não mantém ligações amorosas senão com a pessoa com quem se comprometeu." Esta é uma das definições para a palavra fiel. E é exactamente isso que a maioria das pessoas pensa de quem só faz sexo com um único parceiro. Mas concorda? Cuidado, pode ser seu maior engano.

Sem dúvida, existe um equívoco generalizado ao se identificar fidelidade com sexualidade. Conheço mulheres que nunca tiveram uma relação extraconjugal, mas não suportam o marido e visse versa . Permanecem com eles só por dependência financeira, criticando-os e desvalorizando-os para as amigas. No entanto, são consideradas fiéis...

Alguns não concordam com a ideia de posse, que é a tónica da maioria das relações estáveis. Para eles a fidelidade está no sentimento recíproco que nutrem e nas razões que sustentam a própria vida a dois. Mas isso não tem nada a ver com ter ou não relações sexuais com outra pessoa. O problema é que, quando duas pessoas iniciam um namoro ou se casam, defendem a ideia de que quem ama deve contar tudo para o outro. Chega a sermos patéticos essa obrigação que os casais se impõem. Casamento não é confessionário.

Quando tudo é conhecido, se não existe nada no parceiro que não se saiba, não há surpresa, não há nenhuma novidade, não há descoberta. O que existe, como consequência natural dessa vida tão sem emoção, é um profundo desinteresse. É assim com a maioria dos casais. Optam pela monotonia e pelo tédio porque não suportam as surpresas de uma vida sem garantias preestabelecidas. Isso não passa de uma ilusão. Desde quando existe alguma garantia, de qualquer espécie, na existência humana?

De uma maneira geral, numa relação estável as cobranças de fidelidade são constantes e é natural sua aceitação. Severa vigilância é exercida sobre os parceiros. O medo de ficar sozinho é tanto, que é difícil encontrar quem reivindique privacidade e tenha maturidade emocional para saber que, se tiver um episódio extraconjugal, isso não diz respeito ao parceiro. A única coisa que importa numa relação é a própria relação, os dois estarem juntos porque gostam da companhia um do outro e fazerem sexo porque sentem prazer.

Todas as restrições impostas e aceitas com naturalidade ameaçam muito mais a relação do que a infidelidade. Reprimir os verdadeiros desejos não significa eliminá-los. Quando a fidelidade se traduz por concessão que se faz ao outro, o preço se torna muito alto e pode inviabilizar a relação. Algumas pessoas já estão se dando conta disso e, talvez por lidar melhor com o desamparo e não se submeter cegamente às normas sociais, ousam soluções nada convencionais. Sorte delas.

18 maio 2007

Há algo estranho no ar...




Calcula-se que um casal em cada sete possa ter problemas de fertilidade. Num terço dos casos, a situação tem origem na mulher, noutro terço tem origem no homem e, no terço restante, o problema pode ser de ambos ou a causa ser desconhecida.


E em conversa outro dia com alguns amigos e amigas, reparámos que há muita gente actualmente com este problema... eu pessoalmente conheço pelo menos 4 pessoas e sinceramente acho muito estranho.

Quando alguém que vive bem com o namorado/marido, é jovem, alegre, tem condições para criar e manter um filho... não consegue, pensámos ok, pode ser.... Mas quando há tanta gente com as mesmas características e com o mesmo problema, é preciso pensar.


Será da vida que levámos? O stress? Não sei. Sei que é triste ter de consolar alguém da frustração de não poder ter um filho, mesmo que os médicos digam que está tudo bem, mesmo que exista a opção da adopção.