14 dezembro 2006

DE MADRUGADA



De madrugada, sozinho no quarto,
luzes apagadas, olhos fechados,
ouvindo Tua voz.
Subindo e descendo,
pressão e velocidade exactas,
frutos de anos de experiência.
Self satisfaction
(eu e meu inglês maluco...)
Mais um pouco, mais algumas frases,
só mais pouco...
Aperto os olhos, alheio a tudo,
apenas concentrado em Tua voz.
Já posso te sentir ao meu lado,
já posso sentir Teu gosto,
explorar Tua língua, descer barriga abaixo,
com pressa, faminto.
Te abocanhar de uma só vez.
Sentir teu gosto amargo, viscoso.
Ouvir teus gemidos,
sentir tuas mãos em meus cabelos,
me sufocando...
Asfixia gostosa essa, sabia?!
Mais um pouco, mais rápido e forte,
um pouco mais de pressão.
Ofegante, me preparo para o final,
para te perder, te ver desaparecendo,
esfumando-se como um fantasma.
Não me resta muita coisa quando abro os olhos,
apenas a testa suada, as pernas tremulas,
e um sorriso inexplicável no rosto.
Foi bom para ti como foi para mim!
SÓ tu o saberás.

2 comentários:

xana disse...

mais uma vês deixo aqui o meu comentário isto esta a melhorar de dia para dia mas desta vês deixo cá ficar uma critica encurtem os textos estão a prolongar muito os textos ou anexem algumas coisa esta a ficar muito comprida a pagina beijos ao pingu da amiga xana @@ isep olé

Anónimo disse...

Nao escrever como Tu, mas sinto as tuas palavras a duplicar.

AMO-TE

Patachu